Dicas de Yoga para Iniciantes

Novo na prática do Yoga? No studio ou em casa, esses detalhes vão fazer a diferença no seu aproveitamento!


Certa vez, uma professora querida usou a seguinte metáfora para me explicar sobre as maneiras de se praticar Yoga:


É como um bombom com uma linda embalagem - você pode se encantar com o embrulho colorido e satisfazer-se em admirá-lo: o que equivale a reproduzir as posturas como uma ginástica e experimentar todos os benefícios físicos que isso traz (e está tudo bem); ou você pode ir além e resolver desembrulhar esse papel brilhante, descobrindo (com esforço) um tesouro ainda mais incrível e gostoso por dentro - toda transformação pessoal e o auto conhecimento que a prática proporciona.

São dois níveis de interação, não existe um melhor que o outro, existe apenas o que funciona para você agora. Separei algumas dicas preciosas para você que está começando/quer começar a praticar que vão te possibilitar aproveitar ao máximo o potencial dessa sabedoria milenar.


Uma boa notícia: só depende de você. Vamos lá?


1.Organize seu espaço e seu tempo

Criar uma atmosfera favorável para sua prática é essencial. O aspecto mais importante e que torna o Yoga tão benéfico para as pessoas é o estado de presença e atenção plena - o exercício de um tipo de percepção que temos perdido na vida cotidiana atribulada. Então, para desfrutar disso, você precisa organizar com carinho sua agenda e o lugar em que você vai praticar.


Reserve um período de, no mínimo, 30 minutos para estar sobre o seu tapetinho; independente do tamanho da sua série, permita-se desfrutar desse momento de cuidar de si. Escolha um momento mais livre do dia, em que você não tenha que sair correndo logo depois da prática, assim você poderá entregar-se sem pressa a um relaxamento ou meditação mais prolongados. Doamos nosso tempo tão fácil aos outros - porque relutamos tanto em fazer isso por nós mesmos? Pela manhã, a tarde ou a noite, o Yoga sempre traz para o corpo e para a mente aquilo que estamos precisando - energia, relaxamento, clareza. Teste o que funciona na sua rotina e procure não passar mais do que 3 dias sem praticar. A verdade é que a melhor hora é sempre aquela que você tem disponível!


Para a escolha de um bom studio ou escola leve em consideração a sua rotina diária: opte por um lugar agradável, cujo deslocamento esteja dentro das suas possibilidades e que tenha uma atmosfera positiva e tranquila. Procure pesquisar um pouco sobre as linhas de Yoga oferecidas, assim como a trajetória dos professores. Faça aulas experimentais e encontre um grupo que compartilhe do propósito da prática com você, a energia do Yoga no coletivo é incrível! Logo, um grupo harmônico irá fazer toda a diferença na sua experiência.


Se a sua prática for em casa vai depender de você criar esse cenário favorável: silencioso, confortável e bonito. Que tal, então, praticar de frente para a janela com a melhor vista da casa? Instale-se num espaço protegido do vento e do sol excessivos, que permita a sua livre movimentação e que não tenha odores fortes, nem piso frio. Incenso é muito gostoso, mas opte por acendê-lo antes ou ao final da prática, respirar fundo com a fumaça no ambiente não é legal. Práticas ao ar livre também são ótimas, mas busque sempre os horários de temperatura mais amena e locais de superfície plana.


Desligue-se dos estímulos externos por alguns instantes: deixe o celular de lado, aperte o off da televisão e, se a casa for muito movimentada, uma plaquinha de "ocupado" na maçaneta é uma ótima ideia! Japamalas, música ambiente, velas, pedras e altar são detalhes lindos que você pode - e deve - cultivar com muito carinho, na intenção de criar um ambiente sagrado e especial; mas nunca faça disso um pré-requisito para a sua prática, pois tudo que precisamos para o Yoga está aqui dentro: nossa respiração, nosso corpo e nossa presença.


2. Vista roupas confortáveis que permitam mobilidade

Estar confortável é muito importante na hora de fazer Yoga. Não use peças apertadas demais - a ponto de te incomodar - nem largas demais, que necessitem ser ajeitadas toda hora. Esses pequenos detalhes viram distrações na hora da prática, comprometendo sua concentração. Liberte-se de tudo que te prenda ou incomode, não use joias ou bijuterias e prenda os cabelos.



3. Não pratique de barriga cheia, nem vazia.

Fazer Yoga em jejum pela manhã é super tradicional, mas cada pessoa tem um corpo, uma história e um metabolismo. Por isso, eu indico que você teste esse método na sua rotina e observe se sente fraqueza ou se esse é, definitivamente, um caminho para você.


Para pessoas que acordam com muita fome ou que tem pressão baixa, por exemplo, é indicado o consumo de um chá ou fruta até 30 minutos antes de ir para o tapetinho. No meu dia a dia, gosto de comer assim que levanto: então tomo meu café completo, faço outras atividades e é só no final da manhã que costumo praticar. Uma coisa é certa: o intervalo entre a refeição e a prática precisa ser de, no mínimo, 2 horas; no caso de uma refeição substanciosa, esse período aumenta para 4 horas. É muito incômodo fazer Yoga de barriga cheia – isso prejudica a sua digestão e o seu desempenho nas posturas que envolvem, principalmente, torções e inversões.


Sobre líquidos o raciocínio é o mesmo: nada de encher a barriga de água antes de fazer Yoga, beba um copo moderado para se hidratar até 15 minutos antes de iniciar a sequência de asanas. Já durante a prática, crie a disciplina de não tomar nada, deixe para matar a sede ao final.


4. Tenha em mente o seu propósito com a prática do Yoga.

Ter clareza sobre o seu objetivo em fazer Yoga é uma questão de foco e de motivação: alívio do stress, conseguir meditar, melhorar o seu alongamento, entrar em contato com seu corpo, ser mais feliz, dormir melhor, aliviar dores, melhorar a postura – muitas são as possibilidades. O que acontece, na maioria das vezes, é que colhemos muito mais benefícios do que esperávamos, pois esta é uma sabedoria holística, eficaz e que harmoniza os mais diversos aspectos de nossas vidas.


Manter a mente conectada ao seu propósito com a prática acelera, e muito, a sua conquista; pois uma das coisas que aprendemos nessa filosofia é o poder da intenção, do pensamento e da concentração. Então, pensar na sua meta e, em seguida, caminhar – com calma, continuidade e determinação – em sua direção, é um caminho infalível para a realização.


5. Mantenha o foco na respiração.

Para quem está começando, uma aula de Yoga pode parecer uma infinidade de coisas para se fazer ao mesmo tempo: movimentos com o corpo, intenções, ajustes, olhares. Mas calma. Sabe o que é mais importante mesmo? Manter-se respirando de forma consciente.


Poucos são os momentos durante o dia em que estamos atentos a esse aspecto tão importante e vital para nós que é a respiração. Você já parou para pensar que estamos fazendo isso desde o momento em que nascemos e iremos fazê-lo até a nossa morte? E quantas dessas respirações foram feitas de qualquer jeito até aqui? A maioria, não é? Então, dar a devida atenção ao ar que entra e sai das suas narinas e melhorar a qualidade desse ato é um dos objetivos principais do Yoga. Com isso, podemos acalmar nosso estado emocional, melhorar – e muito – a nossa saúde, nos conectarmos (conosco, com os outros) e desfrutar da gratidão pela vida.


Então, antes de realizar qualquer postura física lembre-se disso: a respiração é a chave!


6. Nas posturas, seja gentil e paciente consigo mesmo.

A prática de asanas é apenas 1 dos 8 aspectos que constituem o Yoga. Popularmente, a prática ficou conhecida pelos movimentos corporais visualmente incríveis, mas acredite – a maior parte dela se faz internamente, sem mover um dedo sequer.


Então, de nada adianta realizar uma postura super desafiadora se a sua motivação para tal é o ego, ou se você faz isso desrespeitando os seus limites físicos.


A prática real do Yoga é sobre evoluir, caminhar com paciência e trabalhar suas forças e fraquezas com aceitação, amor e ética – e tudo isso leva tempo. Então, seja paciente e tenha confiança em você e nesta sabedoria tão especial.


7. Note a sua evolução em cada pequeno detalhe.

No início a prática pode ser realmente desafiadora, e este é um bom sinal. Significa que você está saindo da sua zona de conforto e que , aos poucos, você vai se abrindo para a dissolução de hábitos e padrões limitantes que há muito tempo vinham sendo cultivados em você – física e emocionalmente.


Por isso valorize cada conquista, a evolução ocorre – de fato – de forma sutil e gradativa. Então celebre cada respiração que você sustenta, cada novo espaço que você conquista em seu corpo, celebre que você venceu a preguiça e conseguiu praticar hoje! Não se cobre demais. Experimente cultivar o Yoga como um terreno livre de cobranças e expectativas na sua vida, assim você irá sempre se surpreender com as revelações deste caminho que está apenas começando.


Mas de nada serve a teoria sem a prática, certo?

Então, agora é hora de trazer para o tapetinho todas essas reflexões que tivemos.

Para isso, preparei com muito carinho essa aula para iniciantes! Vamos juntos?



Muitas dúvidas nos seus primeiros passos no Yoga? Aqui estão alguns conteúdos que podem te ajudar:

> Como Escolher Seu Tapete de Yoga

> Tipos de Yoga: qual é o ideal para você?

> Aprenda como Meditar

Namastê,


#yogaparainiciantes #yoga #dica

#hathavinyasayoga #yogacomjuliaviegas #yogablog #comecaryoga

  • Instagram - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
Contato

contato@juliaviegas.com.br

(21) 975283819

Todos os direitos reservados